segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Meu novo chinês

Yi Jianlian tentando entender porque diabos esses ocidentais
enfiam um boné na cabeça quando são draftados

Estou me metendo num território perigoso. Todo mundo sabe que sou fã do Yao Ming, me tacam tomates quando ostento orgulhosamente minha camiseta vermelha número 11 do Houston pelas ruas e, como se não bastasse, vou fazer uma declaração que vai aumentar ainda mais o número de piadas com a minha pessoa. Vão dizer que eu tenho tara por chineses com mais de dois metros e dez de altura e criar vários motivos engraçados para isso que remetam à minha infância. Minha namorada vai ficar preocupada toda vez que cruzarmos com um chinês gigante, assustada com minhas estranhas tendências. Mas mesmo assim devo dizer:

O Yi Jianlian vai ser uma estrela na NBA.

Eu não trabalho para a máfia chinesa. Não, não ganho nem um centavo do governo comunista para instaurar propaganda vermelha no mundo ocidental (mas bem que gostaria de ganhar). Meus motivos (pelo menos os conscientes) são puramente técnicos. Acho que o chinês joga demais.

Foram apenas três partidas até agora, é bastante cedo para qualquer coisa. Mas mesmo em sua pior partida, em que marcou apenas 2 pontos em 15 minutos de quadra, é impossível não ver muito talento no garoto. Com 2,13 de altura, Yi tem tamanho para ser pivô na enorme maioria dos times da NBA. Joga bem de costas para a cesta e é bom reboteiro. No entanto, tem talento o bastante em seus arremessos para jogar facilmente de ala. O jumper de meia distância é sólido, o da linha de 3 pontos é razoável. É atlético, rápido, bom em tocos e excelente em roubos de bola interceptando as linhas de passe. Mas não é isso que impressiona mais. Quando o chinês recebe a bola e então parte para dentro do garrafão, é como mágica sendo feita, é tudo lindo, perfeito, assombroso, pétalas voam do céu e descrever isso desse jeito realmente deveria deixar minha namorada preocupada, droga. Mas bato o pé: quando parte para dentro, Yi é um monstro. Ele corta com uma velocidade impraticável para seus 2,13 desafiando as Leis da Física. É veloz, explosivo, mantém o equilíbrio no ar e tem muita técnica perto do aro.

Exagero? Boiolisse? Tara bizarra por gigantes chineses? Talvez. Mas acompanhei muitos jogos do Bucks na pré-temporada e sua mais recente atuação, 16 pontos, 8 rebotes, 2 roubos e 2 tocos na vitória contra o Chicago Bulls, me convenceram finalmente a arriscar o palpite do estrelato iminente de Yi.

É o tipo de coisa que os (três) leitores do Bola Presa podem acabar esfregando na minha cara um dia (como a vaga do Al Jefferson num All-Star game) mas eu realmente acredito no que estou dizendo.

E, graças ao Yi, estou interessado e pretendo assistir muito mais jogos do Bucks esse ano. Graças a ele e também ao fato de que as televisões chinesas, que passam os jogos do meu amado Houston, estão dando bem mais atenção para os Veados Roxos. Então não tenho muita escolha, não é mesmo?

Um comentário:

Mailon disse...

é, acho que ninguem nunca tinha lido esse texto e Yi devera ser uma estrela da NBA