terça-feira, 1 de julho de 2008

Análise do Draft 2008 - Parte final

Chegamos finalmente à parte final do Draft 2008. Já analisamos as escolhas de 20 dos 30 times da NBA nas partes um e dois das nossas análises.

Se você é mais lerdo que aquela sua prima que não consegue nem fechar "Smoke on the Water" no nível mais fácil do Guitar Hero, aqui está, pela última vez, a explicação para cada um dos Selos de Qualidade Bola Presa.




Alinne Moraes - Melhor impossível.


Paola Oliveira - A Scarlett Johansson brasileira não é a Scarlett Johansson, mas mesmo assim ainda tá bom.

Kelly Key - Tem seus defeitos, dá pra tirar sarro. Mas ninguém aqui recusava.

Aquela mina da balada - Nada de mais, mas na situação era o melhor disponível.

Mulher Melancia - Bom por um lado, ruim por outro.

Traveco do Ronaldo - Chuta que é macumba. Não poderia ser pior.


...


21. Houston Rockets
Nicolas Batum, SF
Maarty Leunen, SF


Em trocas:
adicionaram:
Joey Dorsey, PF
Donte Greene, SF
Darrell Arthur, PF

perderam:
Nicolas Batum, SF
Darrell Arthur, PF

Sim, o Houston trocou pelo Darrell Arthur e logo depois o trocou mais uma vez, dessa vez para o Grizzlies, em troca do Donte Greene. Isso depois de ter draftado o Nicolas Batum e trocado ele pelo Arthur e o Dorsey. Puta confusão, né?

Mas o resultado foi muito bom. Usando de apenas uma escolha no fim da primeira rodada, o Houston conseguiu dois jogadores de bom nível para complementar o banco de reservas do time. A maior necessidade do Rockets (além de uma vitória na primeira rodada dos playoffs) é um reserva para Yao Ming, já que Mutombo está ocupado com a sua festa de 100° aniversário (de carreira), mas não havia mais nenhum pivô confiável no draft e, como disse ontem sobre o Orlando, tem muitos pivôs medianos por aí como Free Agents nessa temporada para serem contratados por um preço baixo.

Eles foram então atrás de jogadores que poderiam deixar o banco de reservas mais forte. Donte Greene chegou a ser cotado para ser 15° escolha pelo Suns mas caiu lá pra trás. No universitário, se destacou por ser um jogador agressivo e que pode criar facilmente seu próprio arremesso, convertendo muitas cestas em bandejas ou pegando rebotes ofensivos, pode ser ideal vindo do banco para o lugar que o Bonzi Wells deixou vago quando saiu.

Já Joey Dorsey ficou mais conhecido por aqui porque muito mais gente assistiu a sua universidade, Memphis, disputar e perder a final da NCAA. Dorsey é considerado baixo para a posição de ala-de-força mas compensa com energia, impulsão e talento. Para um time que tem Chuck Hayes e Carl Landry, isso não é nenhuma novidade. Apesar de ter muitos competidores por minutos, ter jogadores que injetam energia no time quando vêm do banco nunca é demais. Draft muito inteligente do Houston.


22. San Antonio Spurs
George Hill, PG
Malik Hairston, SG
James Gist, PF


Como disse a revista Dime e o Sbub anotou bem aqui nos comentários: "Deixe para o Spurs draftar o cara com o nome mais sem graça do draft inteiro, George Hill.".

O nome "George Hill" parece os que o videogame cria quando você joga várias temporadas com o mesmo time. Eles precisam criar jogadores novos e pra isso ficam juntando nomes de jogadores que já existem, então aparecem George Hill, Jon Bryant, Tim Allen ou coisas mais grotescas como Emmanuel Ming ou LaMarcus Gay. Nem quero ver quando aparecer um JaValle Mbenga.

Nomes à parte, o Spurs draftou o que precisava. Já que o Jaqcue Vaughn só tinha a confiança do Greg Popovich para fazer faltas no Shaq, tava na hora de pegar um armador principal mais jovem para dar uma força para o Tony Parker. Dizem que o Hill é bem agressivo e que infiltra bem, coisa que o Tony Parker eleva à perfeição, então seu estilo de jogo não deve ser problema.

As escolhas de segunda rodada são a cara do Spurs. O Hairston é criticado por não parecer gostar de jogar basquete e por jogar sem emoção, já o James Gist é considerado um jogador limitado mas com potencial para ser um ótimo defensor. Some os dois e você terá o Bruce Bowen.


23. Detroit Pistons
DJ White, PF
Deron Washington, SF


Em trocas:
adicionaram:
Walter Sharpe, PF
Trent Plaisted, PF

perderam:

DJ White, PF


Juro que não entendi essa do Pistons. Muitos dizem que eles estão prestes a perder o Rasheed Wallace e o Theo Ratliff, outros já não acham que o McDyess rende tanto quanto deveria e praticamente todos entram em consenso quando dizem que o Pistons precisa adicionar jogadores de garrafão. Mas por que diabos escolher ter mais do que ter o melhor?

O Pistons trocou o DJ White por dois jogadores da mesma posição, Sharpe e Plaisted. Pelo que dizem, os dois caras que eles pegaram nem são tão ruins, mas é que o White era considerado melhor e o Pistons não precisa de quantidade, precisa de qualidade. Até fiquei surpreso ao ver a troca porque a reação imediata de quase todo mundo após a escolha do Pistons foi de aprovação.

O que joga a favor do Pistons são duas coisas. A primeira é que em geral o Joe Dumars, manager do time, é bom em draft e escolhe bem jogadores lá embaixo. Foi ele quem escolheu Stuckey, Prince e Maxiell, por exemplo. A outra coisa a favor do Pistons é que a única vez em que o Dumars draftou mal foi em 2003, quando pegou o Darko. E foi bem nesse ano que eles ganharam o título, talvez o que esteja faltando para o Pistons seja só outro draft ruim.


24. Boston Celtics
JR Giddens, SF
Semih Erden, PF


Em trocas:
adicionaram:
Bill Walker

perderam:
Grana!

Um draft nada mal para um time que não precisa mudar quase nada. Com a escolha de primeira rodada o time poderia ter ido com Chris Douglas-Roberts, que seria ótimo para vir do banco marcando pontos caso Posey e Eddie House caiam fora, mas eles preferiram não mudar a filosofia que os levaram ao título.

Além de bom arremessador dos três, Giddens é considerado um ótimo defensor e foi a defesa que deu o título ao Boston, nada mais justo do que se manter fiel à filosofia vencedora. Talvez confiar tamanha responsabilidade a um novato que foi 30° escolha seja pedir demais, mas Giddens tem as características necessárias para fazer o papel que James Posey fez no elenco campeão. Se bem que eu acho que o garoto terá tempo para aprender, o Posey adora ficar em time que tá pra ganhar e não deve sair do Boston tão cedo.

Mesmo sem precisar fazer mais nada, o Boston mandou uma graninha pro Wizards em troca do Bill Walker, um cara que tem tudo pra ser o novo Gerald Green. Enterra como um maluco, joga no Celtics, joga mais ou menos basquete e pode vencer o próximo campeonato de enterradas.




25. Denver Nuggets
Trocou sua escolha (20°) por uma escolha futura do Charlotte Bobcats.



Em trocas:
adicionaram:
Sonny Weems, PG

perderam:
futura escolha de 2° rodada

O Denver não tava muito afim de gastar dinheiro, afinal já pagam uma nota preta (preto nível Garnett!) para manter Iverson, Melo, Kenyon Martin, Marcus Camby e Nenê no time e ainda estão para desenbolsar mais grana no futuro para ficar com JR Smith e Linas Kleiza. E como os contratos de escolhidos na primeira rodada são garantidos por alguns anos, o Nuggets preferiu não pegar ninguém.

Não considero uma escolha errada porque o time realmente gasta muito dinheiro e precisa se controlar, além de que o time precisa mesmo é de um armador principal e não tinha nenhum grande armador disponível na 20° escolha.

Preferiram pegar um armador na 2° rodada e só dar um contrato (magro) pra ele caso ele realmente prove que merece o investimento durante os jogos das ligas de verão, que acontecem nesse mês. Sonny Weems não é armador principal mas tem a velocidade e a agressividade necessárias no esquema (ou na falta de esquema) ofensivo do Denver Nuggets.

Vamos falar sério, o Denver tem elenco pra ir longe, não precisavam mesmo de mais jogadores, eles precisam é de resultados com os grandes jogadores que já possuem.


26. Toronto Raptors
Nathan Jawai, PF



Ao contrário do que eu disse aqui na parte 1 da análise, o Nathan Jawai foi para o Toronto Raptors e não para o Indiana Pacers. O Pacers deu sua 41° escolha para o Raptors na troca do Jermaine O'Neal e do TJ Ford.

O pivô Jawai é gigantesco mas ainda cru demais para render na NBA. Se conseguir um contrato para esse ano, será só porque o Raptors precisa muito de um terceiro pivô caso Jermaine O'Neal e Primoz Brezec morram em um acidente de avião durante a temporada. Se o time achasse que precisa de jogadores altos para contribuir já nessa temporada, talvez devessem ter escolhido DeVon Hardin ou até apostar no campeão da NCAA Sasha Kaun. Draft ruim depois de uma troca boa para o Toronto.


27. Los Angeles Lakers
Joe Crawford, SG



Joe Crawford? Sério? Não li errado? Ok.

Em uma atitude bizarra, o Lakers draftou aquele juiz carequinha que teve uma carreira longa e boa na NBA antes ficar famoso por expulsar o Tim Duncan de um jogo contra o Dallas só porque ele estava rindo. Convenhamos que o Duncan rir é uma atitude suspeita, eu entendo o cara.

Joe Crawford voltou a apitar depois de ser suspenso por esse episódio com o Duncan, e nesses playoffs ele foi um dos árbitros no jogo 4 entre Spurs e Lakers, aquele em que ninguém viu a bola do Lakers que bateu no aro e que todo mundo fingiu que não viu a falta do Fisher no Brent Barry. Boa, Lakers! Ter um juiz no nosso lado era o que faltava para o título!

Edit: Acabo de ser informado que Joe Crawford é só um cara mais ou menos que por acaso tem o mesmo nome que o juiz famoso. Ficou bem mais chato o draft do Lakers agora. Mas é bom lembrar que o Lakers não teve escolha de 1° rodada porque ela foi envolvida na troca em que o Lakers mandou um boneco de pelúcia dos Backyardigans em troca do Pau Gasol.


28. Dallas Mavericks
Shan Foster, SG



Como o Dallas mandou para o New Jersey Nets suas próximas 10.000 escolhas de draft em troca do Jason Kidd, só sobrou para eles uma distante 51° escolha que eles usaram para pegar Shan Foster, que nada mais é do que um chutador. Seu trabalho consiste em se posicionar bem, receber a bola e arremessar. Uma escolha distante é um ótimo lugar para draftar especialistas, muitas vezes especialistas em defesa e arremessadores ficam escondidos no fim do draft.

Boa escolha para o Dallas, com um time envelhecido não custa nada apostar em um novo Kyle Korver.


29. New Orleans Hornets
Trocaram sua escolha (27°) por dinheiro com o Portland Trail Blazers



O Hornets me decepcionou com essa troca. Sabemos da crise financeira da cidade e de como isso implica em ginásios quase nunca lotados mesmo com o time no topo da NBA, sabemos também que o Hornets não se pode dar ao luxo de ficar gastando muito e de ultrapassar o limite salarial da NBA. É bom lembrar que a cada dólar que um time ultrapassa o teto salarial, eles pagam mais um dólar de multa para a NBA. Mas mesmo assim, um salário de 27° escolha não é tudo isso, e também eles tinham a chance de draftar o Darrell Arthur, que seria um reserva mil vezes melhor que o Melvin Ely para o David West.

Perderam uma ótima chance de ter um bom jogador no banco de reservas por um custo baixo.


30. Atlanta Hawks
Nenhuma escolha no draft 2008.



O Atlanta Hawks teria a 15° escolha no draft desse ano, mas ela foi para o Suns por causa daquela velha troca do Joe Johnson. O Atlanta, embora ainda não seja um time pronto, também não estava dando a mínima para esse draft.

A grande preocupação da maior surpresa dos Playoffs do ano passado é com os Free Agents, os jogadores cujos contratos acabaram e que estão livres para assinar com qualquer time. Josh Smith é Free Agent e está sendo assediado por muitos times, principalmente pelo Philadelphia 76ers. O Hawks, se perder Josh Smith e não ganhar nada em troca, já pode começar a pensar no Draft 2009.

...

O assunto dos Free Agents (chamados por aí com o estranho nome de Agentes Livres) será tratado aqui no Bola Presa a partir de amanhã. Tem muita coisa já rolando por aí, o Antawn Jamison decidiu continuar no Wizards, o Baron Davis pode ir para o Clippers, o Arenas pode ir para o lugar do Baron Davis... é fofoca até dizer chega!

Com isso, encerramos a cobertura do Draft 2008, espero que vocês tenham gostado e nos dêem um Selo Alinne Moraes pelos textos sobre o assunto. Mas se quiser nos dar a própria Alinne Moraes, eu também aceito.

6 comentários:

Maickel disse...

"Bill Walker, um cara que tem tudo pra ser o novo Gerald Green" o problema é que o geral green tinha tudo pra ser um novo 't-mac, kobe' e não tevenem tempo pra jogar direito hahaha, eu achei esse bill walker pelo video melhor até que o gerald, o jogo de pés dele é bom, é atlético, mete umas bolas de média distância e tem futuro se tiver OPORTUNIDADE

Saia do meu trem! disse...

É impressionante o trabalho de vcs, o melhor blog sobre a nba aqui no Brasil. Eu acompanho quase desde o começo, mas decidir mandar um oi só agora. Por isso pode ter certeza que o número de pessoas que comentam não demonstra os acessos, pq eu vejo quase todo dia. Um abraço!

Sbub disse...

A justificativa do Dumars para draftar dois caras ruins em vez de um médio foi que os dois responderam corretamente à pergunta "Tudo bem se vocês forem escolhidos e mandarmos vocês pra Europa porque não tem lugar no banco?"

Quem respondeu "não, quero jogar os dois minutos finais das partidas" foi trocado. Quem disse "Claro, por que não?" foi escolhido.

A grande aposta é o Sharpe, que é conhecido por ter sido preso na faculdade e por ter narcolepsia. Então ele poderá entrar nas partidas nos dois minutos finais e ainda assim dar uma cochilada.

Luiz Guilherme disse...

Adorei a cobertura, vcs tão de parabens mesmo!!

cesar disse...

sugestão pra proxima frase da semana

frase vista em um cartaz num jogo dos spurs:

"70% do planeta Terra é coberto por água... os outros 30% por BRUCE BOWEN!" \o/


uashuahsua

Anônimo disse...

O cara que escreve tem umas tiradas sensacionais, então é muito bom ler as notícias do melhor esporte conhecido com as melhores sacadas.
"GENIAL".