sexta-feira, 4 de julho de 2008

Save Our Sonics

Salve o Sonics de Payton e Kemp


O S.O.S tem uma história curiosa. É um sinal de código morse que começou a ser adotado como sinal de resgate em 1905. As letras S e O são bem fáceis de se fazer e de se identificar com o código morse. O "S" são três sinais curtos ( . . . ) e o "O" são três sinais longos ( - - - ). Mas depois de um tempo, principalmente depois que o Titanic fez esse sinal ainda mais famoso, começaram especulações sobre o significado da sigla S.O.S. Na verdade ela não quer dizer nada, é só um código fácil, mas muita gente acredita mesmo, até hoje, que a sigla quer dizer "Save Our Souls" ou "Save Our Ship", que em português seriam "Salvem nossas almas" e "Salvem nosso navio", respectivamente.

Curiosidades à parte, a sigla S.O.S tem agora um significado novo pra mim, um que, assim como os outros, vai se relacionar a pessoas perdidas que querem ajuda e que não podem fazer nada. Sempre que eu observar em algum lugar a sigla, nem que seja vendo reprise do Titanic no SBT, vou lembrar do lema da campanha dos moradores de Seattle, torcedores do Supersonics: Save Our Sonics.

Tudo começou em 2006, quando o então dono do Seattle Supersonics, Howard Schulz, CEO do gigante dos cafezinhos caros, Starbucks, tentou convencer a cidade de Seattle a reformar e aumentar a capacidade do ginásio do Sonics, a KeyArena, a arena com menor capacidade de torcedores em toda a NBA. Schulz queria apoio do governo da cidade para a reforma, algo como 220 milhões de dólares de apoio, nada de mais.

Como ele não conseguiu tal apoio, achou que era hora de vender seu brinquedo e aceitou a proposta de singelos 350 milhões de dólares oferecidos por um grupo de investidores liderados por Clay Bennet, empresário de Oklahoma City e que já havia sido um dos donos do San Antonio Spurs nos anos 90 e principal líder do grupo que levou o Hornets a jogar em Oklahoma City nos dois anos seguintes ao furacão Katrina, que impediu o Hornets de jogar em New Orleans.

O acordo de venda para o grupo de Bennet dizia que os novos donos deveriam fazer de tudo para conseguir um acordo para a expansão da KeyArena nos primeiro ano de sua gestão. Com as dificuldades de negociação, o empresário chegou a sugerir usar dinheiro de impostos para pagar os mais de 500 milhões de dólares que ele dizia necessário para construir outra arena, uma no subúrbio de Seattle ao invés de reformar o antigo ginásio. Também não rolou.

Cansado de toda a briga, o grupo disse que então a única saída era o Sonics sair de Seattle e ir para Oklahoma City, em que todo o dinheiro para reformar o Ford Center já estava certo. E foi aí que a briga começou pra valer. Apoiado por uma declaração (que rendeu multa da NBA) de um dos empresários do grupo de Bennet, o governo de Seattle, os torcedores e até o antigo dono, Howard Schultz, disseram que Clay Bennet comprou o Sonics já com a intenção de levar o time para Oklahoma City e que nunca realmente quis ou negociou bem o bastante para manter o time em Seattle. E-mails descobertos dentro do grupo de Bennet sugerem a mesma coisa.

O problema para mudar o time de cidade foi a KeyArena, de novo, já que a Arena tinha contrato com o Sonics até 2010. A solução seria um "buyout", ou seja, uma multa, como aquelas que pagam aos jogadores quando os times querem que eles dêem o fora antes do fim de seus contratos. Então foi a vez de um grupo da cidade entrar com uma ação para dizer que Bennet não poderia pagar para cancelar o contrato. Ou seja, a treta ficou feia e muito advogado começou a ganhar dinheiro.

O grupo de Clay Bennet ofereceu quantias de até 26,5 milhões de dólares para quebrar o contrato mas a cidade de Seattle não topou e depositou sua fé na justiça, acreditando que em julgamento sobre a situação o contrato até 2010 pudesse ser cumprido. O julgamento rolou por muito tempo mas horas antes da juíza dar seu parecer, os dois lados anunciaram que tinham chegado a um acordo. Com a derrota parecendo clara, a cidade de Seattle tentou sair de cena com pelo menos algumas coisas em mãos.

No acordo, a cidade de Seattle conseguiu 40 milhões de dólares de Bennet e mais 30 milhões daqui 5 anos caso Seattle não consiga trazer mais nenhuma equipe da NBA para a cidade. Além disso, o novo time de Oklahoma City não levará o nome de Sonics e nem levará com ele a história, as cores e o logo da equipe do Sonics. Ou seja, será praticamente uma nova franquia, e não uma mesma franquia em outra cidade. O novo time de Oklahoma City não poderá dizer que no seu tempo de Seattle foi campeã da NBA em 1979 e teve Gary Payton e Shawn Kemp encantando o mundo do basquete, a história fica em Seattle.

Embora eu ache que Oklahoma City tenha sido uma ótima cidade, com um público maravilhoso nos seus tempos de Hornets, estou bem triste com a decisão. Não que eu me importasse ou torcesse muito com o Sonics, mas o que aconteceu soa como um assalto. Tudo indica que Clay Bennet realmente queria mudar o time para Oklahoma City desde que comprou o Sonics. Todo mundo percebeu isso e até o antigo dono, Howard Schulz e outros ricaços de Seattle, incluindo um CEO da Microsoft, Steve Ballmer, perceberam isso e tentaram comprar o time de volta para não deixar ele sair da cidade, mas não deu. Dizem que a cidade não quis gastar milhões em uma nova arena que agradaria aos novos donos porque queria gastar o dinheiro dos contribuintes em outras coisas, o que eu acho correto e justo. Esses contribuintes, aliás, são os cidadãos de Seattle, os que queriam o Sonics na cidade, as pessoas do "Save Our Sonics". Vocês ouviram elas durante a história que eu contei acima? Nem mais ninguém. Completamente ignoradas.

Mas mesmo que tudo tivesse acontecido de forma correta e que a saída do time de Seattle fosse inevitável, seria algo bem triste do mesmo jeito. A saída do Hornets de Charlotte para New Orleans já foi estranha, mas pelo menos o time não tinha tanta história, mesma coisa com a saída do Grizzlies de Vancouver para Memphis. O Sonics não era um timinho novo tentando um lugar ao sol na NBA, o Sonics completou 40 anos de existência, todos eles em Seattle.

Fiquei imaginando como seria se eu morasse em Seattle e encontrei nesse texto da revista Dime um cara pensando coisas parecidas. Ele é de lá e disse como fica triste de pensar nas pessoas que compram os ingressos de temporada há anos para ver o Sonics 41 vezes por temporada, ou os caras de 20, 30 e 40 anos que aprenderam a ver, entender e a amar o basquete só vendo o Seattle Sonics em quadra. É um time que não é o Knicks, Lakers ou Celtics mas que é rico em história. Gary Payton, Shawn Kemp, Ray Allen, Rashard Lewis, Detlef Schrempf, Nate McMillan, Sam Perkins, Ricky Pierce, Lenny Wilkens, Jack Sikma. Quem gosta de história pode se deliciar com o Sonics.

E imagine você, torcedor do Corinthians, São Paulo, Grêmio, Inter, Flamengo, Sport, Bahia, sei lá, qualquer time. Imagina se, de repente, chega um cara, compra o seu time e depois de dois anos leva ele embora para outra cidade. É simplesmente surreal. Os negócios na NBA e nos EUA são diferentes daqui, os times são franquias, não são clubes, e tudo são negócios, mas os torcedores são sempre torcedores. Você pode dizer que tal torcedor é mais apaixonado do que outro mas sempre tem um grande número de torcedores que amam seu time. Imagine a quantidade de garotos encantados em ver um jogo do Seattle no ginásio, com a camisa do Kevin Durant e que estava aprendendo a gostar e entender o basquete, o que vai ser deles agora? O time que eles torcem simplesmente desapareceu.

Isso tudo ainda não conseguiu entrar na minha cabeça. Talvez eu me importe demais, talvez goste demais de esporte e veja importância demais em torcer no esporte. Talvez esteja exagerando também, mas garanto que não sou o único e que tem muita gente assim em Seattle também, gente que além de assistir gosta de torcer, de se envolver, de idolatrar grandes jogadores, essas coisas bobas de torcedor.

Se fosse torcedor do Sonics eu provavelmente iria ver a NBA com outros olhos, com menos tesão, com aquele mau humor de velho rancoroso, ver o Sonics morrer é ver sua banda de rock favorita cantar cover de música ruim no Faustão, é descobrir que Papai Noel não existe. Natal ainda é legal, a banda ainda é boa, só a magia que acabou.

Só não sei se ia chorar. Acho que esse não é o tipo de perda que faz a gente chorar. Não é a namorada dos sonhos que te abandonou, não é um familiar que morreu. É só uma paixão de infância que foi legalmente comprada e morta de acordo com os interesses econômicos de uma minoria.

Garanto que o garotinho com a camiseta do Durant vai entender tudo isso.

10 comentários:

Ralph disse...

Pô, mas isso é tão comum na história da NBA, até time mais antigos como o Pistons, que já foi por 16 anos, Forte Wayne Pistons Zollner. O Lakers já foi Detroit Gems por 1 ano e Minneapolis Lakers por 13, até o Sixers que é o time mais antigo já foi Syracuse National por 17 anos. NBA sempre foi negócio, acho que poucas cidades estão blindadas de terem suas franquias movidas.

cesar disse...

ralph, isso pode ser 'normal' mas naum cancela o q foi postado aih...
mas pensem pelo lado positivo..
eu tenhu uma camisa do payton branca du sonics...
pelo menos agora vo poder dizer q tenhu uma camisa historika hehehe

e outra coisa: as camisas do sonics vao cair d preço drasticamente nu nba store hehehe

=p

thales disse...

Belo Texto

Renan Ronchi disse...

Ralph, era muito diferente nessa época. As franquias ainda não tinham tanta história e as que tinham permanecem com o mesmo nome até hoje (vide Boston Celtics e New York Knickerbockers). Hoje, é muito diferente. A NBA já é antiga, os times movimentam muito mais dinheiro do que antes e os times tem muito mais história do que aquela época. Além disso, o Sonics é uma franquia com jogadores novos e que tendem a evoluir, ou seja, é o momento perfeito para mudar de cidade. Se tivesse alguém de mais calibre nesse time, como Shaq, eles não fariam algo desse tipo. Não concordo até hoje com a mudança do Hornets, mas sei lá. Essa história ainda vai dar o que falar.

Nobody Go. disse...

clap-clap-clap-clap!

quase me emocionou, Dênis! Muito bom!
=)

Denis disse...

O Ralph está certo em dizer que as mudanças não são raras. Já tivemos o Jazz saindo de New Orleans, o Lakers de Minneapolis e a lista é longa, mas esse texto e essa sensação valem para todas essas mudanças, elevada aos 40 anos de história do Sonics em Seattle.

Abraços!

Anônimo disse...

Legal isso. Quando vcs querem ser palhaços, vocês conseguem ser engrassados. E quando vocês querem falar sério, vocês realmente falam sério. Rambém fiquei com pena do menininho com a camisa do Durant.

Heverton Elias

Anônimo disse...

putz, mas enrgraçado com dois "s" e foda, viu.
Mas ainda continuo com pena do menino com camisa do Durant. Parabéns pelo post.

Heverton Elias

Felipe Jr. disse...

money talks babe...

eh realmente uma pena q a NBA tenha elevado o nivel de buzzznezzz a esse
ponto...
hj em dia vemos poucos jogadores q realmente se importam com o basquete
ou com o time,
soh se preocupam com seus contratos e seus milhoes...e isso q aconteceu com o Sonics vem a enfatizar ainda mais esse tipo de pensamento...

Anônimo disse...

[p]" So if they are buying them retail with tax and having to pay ebay and pay pal fees and they are not seconds and are grade [url=http://www.officaluggboots2012.co.uk]offical ugg boots[/url] a boots they will be selling for more than retail . This has to do with the licenses that they have with the record companies that prevent [url=http://www.uggbootfuk.co.uk]ugg boots uk stores[/url] them from playing particular songs on demand . Classic Tall Sheepskin Sand Ugg Boots Women's 5815 Ugg Classic Tall Sand Boots, the Classic Tall Sand [url=http://www.ugg-boots-clearance-outlet.co.uk]ugg boots clearance women
[/url] is a calf-height boot made from genuine twin-face sheepskin . Shopping around on the [url=http://www.cheap-uggboots-outlet.co.uk]ugg boots outlet sale[/url] net nowadays is both some what hassle-free and most importantly it's completely risk-free . The third is the height, while I such as shorter boot for below jeans, it isn't something that is going to look OK with [url=http://www.uggsaleukclearance.co.uk]ugg sale outlet[/url] anything else, and certainly looks goofy alone . The costa rica government [url=http://www.cheap-uggboots-outlet.co.uk]ugg boots outlet store[/url] will do it while it may well; you do not need achieve it while you ought not . bailey button [url=http://www.uggsaleukclearance.co.uk]ugg sale uk[/url] ugg boots etimes donned slouched down or maybe cuffed in your very best . Inferior snow boots for women are paid a great price
Look, now full of street girls are almost always wearing ugg boots [url=http://www.uggforsale-2013.co.uk]australia ugg 2013[/url] in ireland.[/p]