quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O basquete como janela

Bynum é osso duro de roer, pega um
pega geral, ele vai pegar você!



Graças à cotovelada de Andrew Bynum para tentar impedir uma cesta de Gerald Wallace, de que o Denis falou em sua análise do jogo, o pobre ala do Bobcats está sofrendo com pneumotórax e uma costela quebrada, condições um tanto complicadas que afastarão Wallace das quadras por algum tempo.



A notícia cai como uma bomba em cima de um Bobcats empolgado, embalado, com chances de playoffs e que agora se vê obrigado a colocar o Adam Morrison em quadra, provavelmente uma das piores terceiras escolhas de draft de todos os tempos e que, no fundo, só vale pelo bigodinho.

Essa não é, no entanto, a primeira falta dura que Bynum comete defendendo o garrafão. Contra o Cavs, estatelou o LeBron no chão para impedir uma enterrada inevitável e quase começou uma confusão porque o próprio LeBron não gostou tanto da pancada quanto gostaria de, deixe-me ver, sorvete, por exemplo. Já o Bobcats lidou melhor com a atitude de Bynum, Larry Brown e seus jogadores disseram que foi uma falta dura mas sem nenhuma intenção de contundir e que a NBA não deveria tomar medidas legais a respeito. Não que isso vá adiantar, claro, porque por lá qualquer espirro é punido mais tarde com multas milionárias e suspensões, afinal o David Stern é entediado e está se vingando dos coleguinhas esportistas que tacavam ele no lixo quando ele estava no colégio e era um nerd derrotado.

Compreendo que o Bynum não tinha intenção de matar ninguém, de colapsar pulmões, quebrar costelas ou mandar alguém para o hospital. Suas intenções eram, sim, impedir uma cesta a qualquer custo. Mais do que isso, como alegou no caso do LeBron: sua intenção era não permitir que enterrassem na sua cabeça, era manter intacta sua honra, era explicitar seu domínio do garrafão. Aí está a diferença brutal entre um cara como Bynum e alguém como o Yao Ming - que talvez até tentasse um toco, nada mais, e provavelmente tomaria uma cravada na cabeça e correria de volta pro ataque com a cabeça abaixada e aquele ar de "oops" (não o "oops" sexualizado da Britney, está mais para o "oops" do Silvio Santos quando caiu na piscina).

Entendo que a função de um pivô seja proteger o seu garrafão, que é seu trabalho, sua função, o motivo pelo qual ele ganha seu salário. Um advogado processa, um vendedor vende, um pivô às vezes quebra costelas. Mas, em geral, não é possível separar um indivíduo do modo como ele exerce sua função, e no esporte isso fica mais explícito: não apenas porque os jogadores estão fazendo aquilo que amam (um advogado não necessariamente faz o que gosta), mas também porque o esporte permite um nível de expressão que, filosoficamente, não o separa muito da arte.

É por isso que sempre digo que, ao ver basquete, estou na verdade vendo uma janela para o mundo. É um recorte do mundo real, é um modo de assistir a pessoas interagindo num mundo com regras bem definidas (o que pode e não pode ser feito, quais são os objetivos, as funções, as posições, as recompensas) e um local limitado (no caso, a quadra de basquete, ao menos em geral). Na impossibilidade de ver o mundo inteiro ao mesmo tempo, olhamos através da janela de nossas casas e vemos uma parte que, por sua vez, representa o todo em algum grau. Quando vemos basquete, estamos vendo uma parte do todo, estamos vendo o mundo de uma forma limitada e ordenada, embora ainda criativa, espontânea e munida de infinitas possibilidades.

O que isso significa? Na prática, quer dizer que o modo como alguém joga basquete é um espelho de sua relação com o mundo. E que, portanto, não adianta dizer que o Bynum "fez o seu trabalho". Ele agiu de acordo com o modo com que encherga as coisas ao seu redor, dentro ou fora da quadra. Não permitir que LeBron enterre na sua cabeça ou impedir Gerald Wallace a todo custo mostram quem ele é, sua relação com o ego, sua vontade de atingir sucesso não importando as consequências.

Os fãs do Bruce Bowen ainda me perseguem nas ruas, mas não tenho como deixar de criticá-lo mais uma vez (de cada cinco palavrões que eu disse em minha vida, três foram para o Bowen e dois foram para o Gilberto Barros). Defender a todo custo, impedir uma cesta dando uma voadora, alcançar a vitória contundindo adversários, tudo isso não é sua profissão, é uma demonstração de suas crenças pessoais. No esporte as pessoas costumam achar legal, "faz parte do jogo, o importante é vencer, tudo que interessa é a vitória" mas na vida real se um cara quebrasse seu pé para pegar a última Playboy da Alinne Moraes nas bancas (não custa nada fazer nossa fezinha) ninguém acharia legal. É engraçado como pessoas competitivas são obrigadas socialmente a manter isso escondido, meio por baixo dos panos, mas quando entram numa quadra para praticar um esporte descem a porrada em todo mundo, passam horas discutindo regras e em alguns casos são recompensadas por isso com "ele dá o sangue" ou similares.

Perdi horas da minha vida sentado numa quadra de basquete, bocejando e pensando no que comeria no jantar, enquanto jogadores competitivos brigavam e se exaltavam para saber de quem seria uma bola que saiu pela lateral. Agora, costumo levar um livro comigo quando jogo basquete (a tentativa inicial de levar travesseiros mostrou-se ineficaz, eu pegava no sono e só percebiam que eu estava ali quando o jogo recomeçava e alguém tropeçava em mim). Fora das quadras, esse comportamento não é aceito, ele é repugnante e detestável. Por que deveria ser aceito num esporte, por mais profissional que fosse?

Na minha carreira escolar, tentava explicar em vão para meu técnico porque eu não conseguia ser físico na defesa, porque eu preferia deixar alguém fazer uma bandeja a tentar um toco numa situação em que claramente farei uma falta. Oras, somos dois jogadores de basquete, compartilhamos a mesma linguagem, não tenho porque descer o sarrafo nele - aliás, eu odiaria que impedissem minha cesta com uma porrada, porque impediria a cesta do outro? Claramente não sou uma pessoa competitiva, não adianta. Eu faria diferente se me pagassem 20 milhões de doletas por ano? Dificilmente. O jeito com que jogo basquete é o jeito que eu sou, todos os dias. O Bruce Bowen pode até ser um cara legal, bem-humorado como muitos dizem que ele é, eu juro que acredito. Mas também posso deduzir que ele faça qualquer coisa para alcançar seus objetivos, não importa as consequências - seria muito ingênuo da minha parte imaginar que ele faça isso apenas em quadra e não atropele outras pessoas constantemente na sua vida aqui, no mundo real.

Não me importo nem um pouco com as ações que a NBA tomará contra o Bynum, na verdade nem acho que algo deveria ser feito. Regras e punições só tornam essas coisas piores, mais camufladas e mais chatas. Ontem, fui assistir à estréia do NBB entre Pinheiros e Flamengo, e fiquei enlouquecido com o fato de que qualquer besteira é marcada como "falta intencional" ou "anti-desportiva" (também fiquei enlouquecido com o relógio de 24 segundos que moscou na jogada final, e com os caras que enxugavam a quadra com um rodo de banheiro, mas disso eu falo mais tarde, com mais calma, provavelmente em um outro espaço que não o Bola Presa exatamente). Não acho que devam existir regras que inibam o jogo, que o amarrem e impeçam os jogadores de se expressarem. Apenas acho que devemos repensar o modo como lidamos com as atitudes de alguns jogadores. O Bynum vai defender o aro como puder, custe a quem custar, mas isso é legal? Deveria ser aplaudido? A maioria das pessoas dirá que isso está na regra, que é permitido e então pode, o que é um argumento surreal (você não mata porque não está na regra?), mas talvez isso já esteja por demais enraízado em nossa cultura esportiva. Mais importante, talvez, seja ver o outro lado: quando um jogador não tacar alguém no chão, quando não quebrar uma costela para vencer um jogo, talvez possamos entender isso apenas como uma faceta de sua personalidade, como o modo com que ele lida com o mundo, e não criticá-lo loucamente por ser frouxo, preguiçoso ou, como muito se diz na gringolândia, "soft".

O Yao Ming toma enterradas na cabeça? Legal. O Rasheed Wallace não quer bater pra dentro e enterrar, preferindo arremessar da linha de três pontos? Bacana. O basquete não é um mundo à parte, uma ilha isolada da vida humana, com regras que não se aplicam a mais nada no Universo. Ao menos um pouco, pensem no basquete como janela, e tenham certeza de que admiramos no mundo real inúmeras pessoas que passaram uma vida arremessando de três quando poderiam estar enterrando. Admiramos, seguimos e idolatrando gente que alcança seus objetivos sem quebrar costelas. Gente que deixa o outro enterrar, simplesmente porque vai ser legal.

25 comentários:

Anônimo disse...

Danilo, sou torcedor do Lakers, acho bakana a evolução do Bynum, mas... concordo em gênero, número e grau contigo. Não há um Bynum dentro da quadra e outro fora. Vão dizer que não, que existe pessoas assim, que são gente boa em família mas são malas no trabalho. Acredito que se a pessoa é uma mala no trabalho, só não foi mala na vida pessoal porque não viveu uma situação familiar que o levasse a ser mala também, mas no momento em que ele sentir que precisa ser mala dentro de casa, ele vai ser. Essa comparação com o basket é um exemplo que pode ser aplicado em outras áreas.

Heverton Elias

Felipe disse...

Nah...

A vida nao eh "soft" e o basquete tbm nao.
Mto pelo contrario a vida assim como o basquete eh injusta e dificil mas por algum motivo continuamos vivendo e jogando.

Nao que eu seja a favor de descer a porrada ...mas a tentativa de defesa eh valida sempre se a intençao nao for a de lesionar ou contundir..claro que q levar uma enterrada na cabeça nao ia mata o bynum ..mas quem q gosta de leva uma soh pq axa bonito?

Victor Moraes disse...

Eu acho que o Bynum deve ser punido sim, não apenas com uma multa, mas também com alguns jogos suspenso.

A partid do momento que ele parte para uma falta intencional, ele assume o risco que machucar o adversário. Guardadas as proporções, é como se você pegasse um carro e acelerasse até 200 km/h, pode ser que não aconteça nada e vai todo mundo achar legal, mas vc assume o risco de, por exemplo, perder o controle do carro, bater em um outro veículo e matar uma pessoa que não tem anda a ver com a sua situação ou se acelerar a 200 por hora é o modo que vc ve a vida.

Bynum sair ileso dessa, deixará uma sensação de impunidade e outros jogadores podem se sentir no direito de ir lá e quebrar costelas dos outros. Agora o Bobcats será tremendamente prejudicado, seria injusto demais o Bynum e o Lakers não sofrem nenhuma punição sequer.

Luiz disse...

So queriA entender uma coisa
Pq o bowen do meu spurs é sujo e o Bynum do todo queridinho Lakers é cool?
Acho um saco quando metem a boca no spurs por ser um time que apela as faltas pra ganhar o jogo.
Acho a atitude do Bynum normal, ele fez jus a grana que ganhA e pra nao ser uma eterna promessa o cara tem que defender a posição com unhas e dentes.
Claro que matar alguem, contundir alguem é uma consequencia muito grave mas impoe o limite e o respeito de que ali o cara nao pode fazer o que quiser.
Apesar de odiar os lakers gosto do Bynum e gosto da maneira que ele joga [ ele jantou o Duncan no jogo passado] e penso que será um dos melhores pivos que existirao no futuro.
Mas porradaria e sangue nao é uma coisa que existe apenas nos jogos do spurs.
abraço

Anônimo disse...

Eu reprovo a atitude de Bynum... e pergunto será que ele vai gostar quando alguém subir com o joelho no meio da fuça dele ???

Caio_SBC

Holandez disse...

Belíssimo texto!!

O que mais me surpreende ainda é como o basquete consegue unir pessoas que são tão diferentes fora das quadras, mas que em quadra acabaram se tornando duplas fantásticas.

Stockton to Malone é o maior exemplo que me vem na cabeça. Stockton nunca deve ter matado uma formiguinha, Malone era o típico "Bad boy", mas em quadra eles se entendiam perfeitamente.
Só o basquete pra unir pessoas tão diferentes

Belotts disse...

Quantos baseados se fumo pra escreve isso...

eheh...em todo caso..achei legal o paralelo ai..

parabens pelo blog..

abras

Daniel disse...

a unica coisa que discordo é a comparação bowen x bynum

bowen faz faltas que não são marcadas em sua enorme maioria .. ele é o q o brasileiro se acha .. malandroo .. bate bate bate .. mas n é punido, parece um senador em brasilia ..

o bynum fez a falta .. foi marcada .. lances livres e mais posse de bola pro bobcats .. a contusão do wallece foi mais uma fatalidade, do que algo intencional, oque no fim das contas não tem muita importancia(a intenção , não a ocntusão)

ou seja .. se o bowen tivesse feito a falta o spurs teria o contra ataque e o duncan faria a cesta e o wallaace "só" estaria com o nariz quebrado. simples assim

não dá bem pra comparar . enquanto bowen tem phd em bater , intimidar e irritar o adversario sem que os juizes notem .. o bynum é um moleke querendo mostrar que pode ser tornar um grande pivo, logico que dessa forma idiota não consiguirá .. seria muito melhor ele aprender com shaq.. vide oq o mesmo fez com u butller

parabens pelo site

abraço

Luiz Guilherme disse...

Há um infinidade de vezes na vida que vc precisa ser rígido, mas em nenhuma você precisa ser desonesto. Bater, como ele bateu, para não perder é ridículo, mas ele é só um garoto que parece que não lembra o quanto doi uma contusão séria apesar de ter tido a mesma. Quanto a desistir de jogadas por achar impossíveis: Não existe nada impossível. Nunca vi o Camby desistir de uma defesa. Não À toa é um dos melhores há anos nesse quesito.

Abçs

Alemão disse...

o bynum deveria ficar suspenso o msm tempo q o wallace ficar fora pela contusão

Evandro "Mon" Cruz disse...

Legal que o Nash toma um tapa na cara é pega dois jogos o Bynum destroi o Geraldão e nada acontece.

Eu também era um marcador muito soft srsrs

ba disse...

Complicado
acho que tudo isso vem já da cultura
pra ele tomar umaenterrada deve ser pior que tomar um tapa na cara
Confesso sempre ter sido um marcador ferrenho, mais nunca desleal, mais lá, pra eles, isso deve ser diferente
tem loco pra tudo nesse mundo
PS: aquela mina é minha ex XD

Marão Caetano disse...

Ridícula a atitude dele. Digam o que quiser, mas atitude anti-desportiva (ele tentou impedir de forma violenta, perigosa e consciente algo esportivo), ultrapassa as regras. Como disseram, a punição certa pra esses casos é deixar o Bynum de fora das quadras o mesmo tempo que o Wallace deverá ficar.

Telespo disse...

Olá, gostaria de saber de vocês do Bola Presa se tem como eu assinar NBATV aqui no Brasil. Podem responder por aqui pela caixinha de comentários mesmo, obrigado. até.

Manguxi disse...

Danilo,identifiquei-me muito com este post, por ser também um soft no basket.

O dia do Bynum há de chegar, à menos que ele sejá o mais dos homens da NBA.

Duudson disse...

"... e tenham certeza de que admiramos no mundo real inúmeras pessoas que passaram uma vida arremessando de três quando poderiam estar enterrando."
ehhehe .. muito profundo isso danilo ... parei e pensei por uns 5 minutos pra depois continuar a ler o finalzinho do texto ... show mesmo!
ps: defesa dura sempre ! defesa suja FEDE!

Anônimo disse...

Não foi ele que tomou uma dunk do Shaq ???

Caio_SBC

Henrique disse...

acho que o bynum tentar fazer o máximo que puder ótimo,acho que todos tem que se esforçar ao máximo na defesa...
mas não dessa maneira,o que ele fez já é diferente, ele não iria conseguir evitar nada e foi para parar a jogada de forma violenta

Caio_SBC
foi ele msm que tomo a dunk do shaq, depois ainda arranjou confusão com ele

Anônimo disse...

tomo a dunk do shaq .. i no ataque seguinte retribuiu cravando na cabeça do gordo'neal .. e só tinha 17 anos u moleke

ta baummm .. agora todos os softs decem o pau no bynum ... ele fez merda .. mais comparar ele com u bowen ja é estranho mesmo

Felipe Jr. disse...

meoo deos mto defensor soft por ae

aheuahuhaeuhaeuhauehauehau

jah diria o Laimbeer

PLAY HAAARDD...

Nao sou a favor do jogo sujo..mas tem que joga duro sim ...tem mta diferença uma defesa com finesse e uma defesa soft assim como uma defesa dura e uma defesa desleal.

soft = so preguiçoso

aheuaheuaheuaheuaheua

rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafael disse...

ou fui lah no pinheiros assistir a estreia da nbb tb. mto bom o jogo neh, fiquei surpreso, axo interessante como esses jogadores que tavam perdidos por ai podem elevar um pouco o nivel do jogo.
axo que tem td pra dar certo esse campeonato
alem disso soh 2 coisas, a torcida do flamengo tava mto dahora, nakele espaco minimo lah gritando e os velhoes do pinheiros td sentado de boa.
o passe errado do marquinhos no final pipocando, e o duda caralho ele n parava d arremessar de 3 e n tava acertando nada, kraalho mano deve ser dwe familia aesar d o marcelinho ter jogado bem

Anônimo disse...

Se ele não quer levar enterrada na cabeça que arrume algum outro jeito, entrar de cotovelo nas costelas é coisa de apelão que não conseguiria parar o oponente sem partir pra algo mais agressivo.

Se um dia ele for enterrar bonito, no meio do caminho um grosso a lá Adonal Foyle puxar o braço dele e por acidente deslocar, ele não vai achar legal, ainda mais se esse Foyle da vida sair com cara de marrento que não se importa.

Eu também deixaria suspenso o tempo que o Gerald Wallace estivesse ausente. O coitado já perdeu um pedação temporada passada com problemas na cabeça (não era a primeira vez), imagina se ele volta do ar de cabeça no chão?

Nathan D'Paula disse...

Pra mim, o Bynum tomando essas iniciativas só quer dizer q ele é um jogador incapaz de defender seu proprio garrafão de forma técnica. Pergunta pro Mutombo ou pro Big Ben como é que se defende um garrafão, acho q eles vão ter opniões diferentes do Bynum.

Anônimo disse...

ele é um escroto e sempre será apenas um pivo... entrou na época errada da NBA.

Caio_SBC