quinta-feira, 9 de abril de 2009

O ano dos futuros coadjuvantes

Príncipe Luc Richard Mbah a Moute lidera
os novatos em Força Nominal


Ainda não acabou a temporada regular, mas falta pouco. E faltando pouco já posso afirmar com alguma segurança que vimos nessa temporada uma das melhores safras de novatos dos últimos tempos. Sim, esse é um post sobre os novatos da temporada que estão insistentemente pedindo nos comentários há tanto tempo. Pronto, seus chatos, aqui está e espero que esteja bem diferente do que vocês imaginavam só pra ver se aprendem a se comportar.

Pensei em começar falando de um bust. Bust, pra quem não tá ligado na gíria mano joe da América do Norte, é aquela decepção, o cara que prometia ser muito e não foi nada. Exemplos clássicos de bust são o Kwame Brown, Michael Olowokandi, Adam Morrison e Darko Milicic. Mas então não consegui falar de um bust no draft de 2008! Talvez esperassem mais do Beasley, ok, mas dizer que foi um fracasso é demais. Talvez escolher o Joe Alexander na 8° escolha tenha sido demais, mas quando ele teve espaço mostrou ser um jogador decente. Escolha preciptada mas longe de ser um pecado capital.

Acho que um jeito legal de fazer uma análise geral de um novato é não só ver o que ele fez na atual temporada mas imaginar, de acordo com a evolução que ele teve ao longo do ano, o que ele será no futuro próximo. Dar prêmios para o desempenho nessa temporada é fácil, a NBA irá fazer em breve, mas prever o futuro com técnicas duvidosas é muito mais legal e é isso o que o Bola Presa fará.

Vou então colocar aqui uma classificação que eu criei para dividir os jogadores da NBA. É um método 100% científico que divide os jogadores em 7 categorias, desde as superestrelas até o lixo do lixo. Depois de explicar a divisão a gente fala dos pivetes, ok? Saca só, galera (adoro falar como se estivesse na Malhação):


1.Mega Estrelas: São aqueles jogadores que vão jogar bem todo dia, que vão liderar franquias, que vão vender doces, biscoitos, tênis e celulares com seu nome, serão entrevistados pela Angélica e vão participar de vários All-Star Games.
Exemplos: LeBron James, Kobe Bryant, Tim Duncan, Chris Paul.

2. Estrelas Light: Sem áçucar, a estrela de soja só é uma estrela dependendo do desempenho do time na temporada. O cara só é cotado para participar do All-Star Game se o time está bem. Geralmente esse atleta é mais discreto e não é unanimidade entre os fãs, apesar de serem excelentes.
Exemplos: Antawn Jamison, David West, Pau Gasol, Stephen Jackson.

3.Caolho em terra de cego: Caolho em terra de cego é rei, mas ainda é caolho e não pega mulher. Esse tipo de jogador é muito melhor que a maioria da NBA mas ainda não pode se achar tudo isso.

São os jogadores que obviamente tem muito talento mas que nunca vão ser cogitados para liderar um time a uma campanha vitoriosa como uma primeira opção, são aqueles caras que só funcionam sendo a terceira opção do time. Em geral são jogadores que sofrem um certo preconceito porque um dia acharam que eles seriam Estrelas Light, ou sofrem pressão porque são novos e acham que podem virar uma Mega Estrela.
Exemplos: Lamar Odom, Rajon Rondo, Josh Howard, Richard Jefferson, Jose Calderon.

4. Role Player Integral: Cheio de gordura mas sem ser o Zach Randolph são aqueles caras que têm um papel específico no time e que sempre fazem esse papel muito bem. Eles são os jogadores limitados mas que, o que sabem fazer, fazem com perfeição. Costumam ser o sexto-homem de um bom time.
Exemplos: Shane Battier, Eddie House, Travis Outlaw, James Posey, Roger Mason

5. Role Player Desnatado: Se não tiver integral vai desnatado mesmo. Têm a mesma função dos role players integrais mas são incompetentes demais para serem regulares e confiáveis. É o tipo de jogador que joga bem em casa e mal fora ou bem contra time ruim e mal contra time bom.
Exemplos: Sasha Vujacic, Jared Jeffries, DeSagana Diop, JJ Barea

6. Zé Alguém: São aqueles caras que você sabe que estão na NBA, que participam dos jogos, mas que em um jogo disputado e que vale alguma coisa nunca vão estar em quadra nos momentos finais a não ser que algo bizarro aconteça (muitas contusões, muitos jogadores eliminados por falta, chantagem atômica).
Exemplos: Hilton Armstrong, Ryan Hollins, Charlie Bell, Trenton Hassell

7. Pedaço de carne desforme e imprestável: É aquele tipo de jogador que entra ano, sai ano e por algum milagre divino o cara continua com contrato. Na prática é só um pedaço de carne desforme e imprestável que nunca entra em quadra, só esquenta banco, entrega gatorade, aplaude e depois da temporada arranja outro time pra fazer a mesma coisa. Eles estão na liga mas não jogam.
Exemplos: Sean Marks, Mark Madsen, Brian Cardinal, Lorenzen Wright


Só saberemos ao certo onde cada um dos novatos desse ano vai se encaixar daqui um tempo, mas eu como blogueiro isento da responsabilidade de falar coisa com coisa, posso dar meus palpites de como será o status dos jogadores draftados em 2008 daqui umas 5 temporadas baseado no que vi nessa de 2008-09.


1. Mega Estrelas: Derrick Rose e OJ Mayo
2. Estrelas Light: Brook Lopez, Michael Beasley, Russell Westbrook, DJ Augustin, Greg Oden
3. Caolhos em terra de cego: Kevin Love, Eric Gordon, Jason Thompson, Jerryd Bayless, Rudy Fernandez
4. Role Player integral: Danilo Gallinari, Courtney Lee, George Hill, Nicolas Batum, DeAndre Jordan, Mario Chalmers, Marc Gasol
5. Role Player desnatado: Brandon Rush, Mareese Speights, Roy Hibbert, JaValle McGee, Ryan Anderson, Darrell Arthur, Luc Mbah a Moute, Mike Taylor, Anthony Morrow
6. Zé Alguém: Joe Alexander, Robin Lopez, Anthony Randolph, Donte Greene, Chris Douglas-Roberts, Kyle Weaver
7. PCDI: Kosta Koufos, Goran Dragic
0. Estarão fora da NBA: Alex Ajinca, DJ White, JR Giddens,


Com só 2 All-Stars garantidos, parece que a classe desse ano nem foi grande coisa. Comparemos com os drafts mais famosos:

O de 1996 teve 10 All-Stars (Iverson, Kobe, Nash, Ray Allen, Rahim, Walker, Marbury, Stojakovic, Jermaine, Ilgauskas) e mais o Ben Wallace que não foi draftado mas que é novato daquele ano.
O draft de 2003 teve 7 até agora (LeBron, Carmelo, Wade, Bosh, David West, Josh Howard e Mo Williams)
O de 1984 teve 6 all-stars (Jordan, Hakeen, Barkley, Alvin Robertson, Kevin Willis, Otis Thorpe e Stockton)

Mas para dar uma forcinha pra pivetada, vamos imaginar que dos 5 jogadores que têm chance de ser All-Star, dois terão sucesso e serão consagrados com esse título. Serão então 4 All-Stars, a elite dos 34 ou 36 (depende se terão tontos ficando com o Koufos e Dragic) representantes dos novatos desse ano.

Os 4 jogadores top de linha são apenas uma indicação de um ano forte de novatos, mas imagino que esse draft ficará para a história de maneira um pouco diferente. Ao invés de ser um draft que marca pelo número absurdo de nomes fortes, será um draft que vencerá pela quantidade. O número de jogadores jovens e talentosos o bastante para durar na liga por muitos anos é imensa.

Por exemplo, eu vejo o Mbah a Moute, com toda sua força nominal e versatilidade, jogando nas posições 2 e 3, pegando rebotes, dando tocos, defendendo, durar na liga por anos e anos mesmo que de maneira discreta. O mesmo vale para os pivôs Robin Lopez, McGee e Hibbert e arremessadores como Brandon Rush e Ryan Anderson. São muitos e muitos que se não for por lesão ou azar têm tudo pra ficar na liga.

Que fique claro que não somente o número de jogadores impressiona, temos número parecido de jogadores de drafts recentes, como 34 jogadores ativos do draft de 2005 ou quase todo o primeiro round do draft de 2006, mas isso acontece porque esses jogadores ainda estão sob o contrato que assinaram na época em que foram draftados. Jogadores como Rashad McCants e Shelden Williams, por exemplo, devem dar adeus à liga em pouco tempo.

Minha aposta é que um número grande de novatos desse ano consiga se manter na liga mesmo quando seus atuais contratos virarem farofa. Que é o caso do draft de 2003, que tem 33 jogadores em atividade na liga mesmo com todos os contratos assinados na época já tendo sido expirados.

Por isso digo que acho o draft de 2003 o mais impressionante que eu já vi. Tem um pouco de lendas como o draft de 84, muitas estrelas como o draft de 96 e um infindável número de bons jogadores (de Luke Walton e Jason Kapono até Boris Diaw e Kendrick Perkins) como este draft de 2008.

E tenho uma outra idéia para um post sobre os novatos desse ano. Juro que posto em breve.

11 comentários:

Stauros disse...

Temos nomes bem impressionantes pro draft esse ano tb, Blake Griffin, provavel, mega estrela; Jordan Hil, o gigante Hasheem Thabeet, acho q o proximo Mutombo; a novdade Brandon Jennings, Rick Rubio, Ty Lawson e a presença tão esperada da presença do Splitter como Rookie...

Stauros disse...

aff... redundância eh mato no meu post acima....

Desconsiderem...

Régis disse...

eu acho que o Kosta é um role player, tá longe de ser lixo, não aparece porque o Sloan não costuma usar rookies, só se for emergência como o maestro, que mesmo assim não foi titular absoluto no 1º ano.

Carlos disse...

O impressionante desse draft é a quantidade de jogadores que já nessa temporada já viraram peças muito importantes no time, tem muito rookie tendo mais tempo de jogo que veterano.

Nota: como torcedor do Pacers não posso deixar passar, mesmo sendo fim de temporada e a maioria dos jogos já não valer nada o Rush tá jogando muito bem, o garoto tem futuro (até me faz esquecer o lixo do irmão dele). E o Hibbert ainda vai ser dominante!

Vinicius Giannini disse...

Discordo veementemente do Anthony Randolph e do Gallinari.

O Randolph tem números espetaculares pelo pouco tempo que fica em quadra. Quando recebe tempo de jogo, acumla rebotes e BLKs com uma naturalidade incrível.

É um jogador extremamente versátil, muito atlético, bom defensor e com ótimo potencial. Tá longe, loooooooooonge de estar na classe citada.

Já o Gallinari, se sua saúde permitir e tiver seus 25/30 minutos por jogo na próxima temporada, será facilmente o maior talento ofensivo de um time cuja característica principal é exatamente o ataque.

O que o Gallinari mais sabe fazer é acertar arremessos de longa distância, disso eu não discordo. Mas está looooonge de ser a única coisa que sabe fazer. Portanto não seria nunca um role player.

Além de arremessar, o Gallinari também é bastante atlético, sabe infiltrar, sabe criar seus próprios arremessos e tem ótimo QI de quadra. Como eu disse, basta que sua saúde permite e ele começará a fazer estragos na próxima temporada. É apenas questão de tempo... e de costas.

Vitor Lakers WIN disse...

THE MAN WITHOUT KNEES IS BACK

Denver disse...

Não foi vocês que elogiaram muito o King Arthur, dizendo que ele irá ser irá jogar o fino da bola...

não gostei disso não, KIng Arthur vai ser no mínimo role player integral, partindo pro caolho...

Sbub disse...

Ainda penso no Kevin Love como Estrela Light. Suas médias são de 11.2 pontos por jogo e 9.2 rebotes por jogo, com apenas 25 minutos por jogo. Ele pode facilmente ter uma média double double nos primeiros anos de NBA. Indo para um time bom (ou o TWolves evoluindo, sei lá), como terceira estrela, pode parecer excelente e pintar num all star game.

Sbub disse...

Em tempo, parabéns pela categorização. Ficou excelente. Imagine o GM de um time falando: contratamos aqui o Joe Alexander porque achamos que ele tem potencial para role player desnatado.Precisamos de mais alguém pra pontuar em dígitos duplos nos jogos fáceis. Para os jogos difíceis ainda estamos procurando alguém parecido, só que bom de verdade.

Marcelo disse...

JJ Hickson, se esqueceu po.hahahaha

Ele tem 19 anos, muito novo. Mas tem potencial, acho que será na classe "Caolhos em terra de cego".

Abraço

Silvano Vianna disse...

Massa...acho que ou vocês tão muito de boa comigo ou eu dei muita sorte esses dias pedi o post dos Rookies, o sobre o "novo" Bulls e o BTPH. E todos vieram em sequênica.
Valeu!!!
Vou fazer mais protestos!!!
Hehehehe!!!!