quarta-feira, 7 de abril de 2010

Os malefícios de torcer

O Durant grita porque, nessa idade, é assim que se pede leitinho


A partida de ontem entre Jazz e Thunder foi uma das mais espetaculares da temporada. Depois de mais de uma semana afastado da NBA (vida boa nas montanhas), dei a sorte de escolher acompanhar justamente uma partida tão memorável. A escolha pelo jogo, no entanto, não foi aleatória: o Jazz tem sido um dos meus times favoritos de assistir nos últimos anos, enquanto o Thunder é meu novo queridinho agora que Houston, Grizzlies e Kings estão eliminados e não podem mais ir aos playoffs.

Com o Jazz empatado em número de vitórias e derrotas com outros três times (todos ocupando da segunda à quinta posição) e o Thunder logo atrás, em sexto, com apenas uma derrota a mais, o confronto decidia diretamente o posicionamento para os playoffs. Para mim, o jogo simplesmente mostrava a mudança dos tempos: aos poucos fui torcendo contra o Deron Williams, um dos meus armadores favoritos na NBA, e vibrei com cada lance do time adversário que, durante muito tempo, chamei apenas de aquele-que-outrora-se-chamava-Sonics. Mais do que feliz, me senti orgulhoso de perceber que os times se modificam e, portanto, meus interesses e gostos também mudam constantemente. Enquanto tanta gente critica esses torcedores que migram seu interesse de um time para o outro dependendo de quem está mais na modinha, concluo que não seguir a modinha é simplesmente uma baita burrice. Já pensou se eu não tivesse acompanhado a partida de ontem só porque o Kevin Durant acabou de virar popzinho?

Foram 45 pontos do garoto-acne, incluindo sete bolas de 3 pontos. Três delas, aliás, foram feitas em sequência durante os minutos finais do quarto período, quando o jogo parecia empatado. A terceira bola, arremessada com a tranquilidade de quem toma chá com o Tim Duncan, partiu de uns bons dois passos atrás da linha de 3 pontos. Foi assim que, de repente, o Thunder perdia apenas por um mísero pontinho. Durant ainda errou por muito pouco uma cesta de três, todo torto, bem marcado e de costas pro aro, no estouro do cronômetro que teria dado a vitória ao Thunder. Com seu erro, o jogo foi para a prorrogação em que o Deron Williams continuou sua noite absurda e acertou o arremesso da vitória com um segundo apenas para o fim.

O Deron Williams marcou 42 pontos, maior marca da carreira. Já faz tempo que insisto que o Deron tem o melhor arremesso de média-distância da NBA (além de um dos melhores crossovers e um dos melhores "step-backs", aquele passinho para trás para ganhar espaço). Ele é simplesmente mortal conseguindo se livrar do marcador apenas o suficiente para um arremesso nas proximidades do garrafão. Sem falar de sua força física que lhe garante umas trombadas tranquilas rumo à cesta e capacidade de viver dando cabeçadas durante os pick-and-rolls. A visão de jogo é apenas um bônus, jogando no esquema tático do técnico Jerry Sloan ele nem precisava - o Deron Williams parece ter nascido para armar o jogo para o Jazz, só seria mais perfeito se tivesse nascido mórmon e achasse que os negros tem essa cor porque não aceitaram Jesus (perceba que minha primeira crítica ao Jazz ou os mórmons só veio aqui, várias linhas depois de iniciado o post, porque aqueles torcedores sem senso de humor que aparecem no blog são sempre vindos do Orkut e, portanto, não conseguem ler mais de três linhas - sua alfabetização se restringe a frases como "só add quem deixar scrap", por isso nunca mais faço uma piada com eles nas primeiras linhas de um post).

O Deron Williams é sensacional, deu a sorte de estar num time que usa todos os seus pontos fortes, e permite que o Jazz seja uma máquina fortíssima quando o elenco está dentro dos desenhos táticos. Cansei de ver meu Houston tomar pau de um Jazz obediente taticamente em que todo mundo se move o tempo inteiro e o ataque limitado acaba mostrando uma quantidade inesperada de armas ofensivas. O Denis e eu sempre batemos na tecla de que o time é lindo de se ver jogar - mas aí, vendo meu amado Deron Williams chutar traseiros e o Jazz jogar com todas as peças no lugar certo, eu não conseguia fazer nada além de, sorrindo com a beleza do jogo, torcer contra. Meus tempos de entusiasta do Jazz terminaram.

Aqui no Brasil, quando torcemos para um time da NBA não se trata de uma escolha cultural. Salvas raríssimas exceções, ninguém aqui nasceu ou foi criado numa cidade com um time da NBA, ninguém tem pais que torcem para o time e colocam bandeira da equipe no quarto do bebê no hospital, ninguém faz parte de uma etnia ou minoria representada por uma equipe, nem tem amigos ou parentes que cresceram juntos ao redor de um ginásio com jogos todas as noites. Nossas escolhas por uma equipe são arbitrárias e representam, no máximo, uma identificação com um modo de jogo. Vemos um time jogar e achamos legal ou chato, vemos um time que só perde e escolhemos porque curtimos sofrer e ser corinthianos, vemos um fraco ganhar do forte e escolhemos porque curtimos uma zebra, vemos um time colecionar títulos e escolhemos porque ganhar é divertido, vemos um jogador espetacular e escolhemos seu time porque será legal acompanhar a carreira de sua estrela. As relações afetivas com os times surgem depois, quando ninguém se lembra mais que a escolha do seu time de coração foi arbitrária e aleatória. O esporte tem dessas, carinha dar sopapo ou meter pipoco em nome de um time que ele - que nem mais se recorda - um dia sentou no sofá e decidiu "é, vou torcer pra esse aqui". Quem é que se sujeita a ficar bravo ou ofender por um troço tão aleatório, tão desassociado de laços culturais?

Mas o torcedor passa anos acompanhando o time vencer (se você torce pro Lakers e Spurs), anos acompanhando o time feder (se você torce pro Jazz) e anos sozinho assistindo novela da Globo (se você torce pro Grizzlies), ele passa a estar ligado ao time, e começa a achar um absurdo o cara que chegou agora e, também aleatoriamente, escolhe um time qualquer para acompanhar. Tudo porque, como o Denis sempre gosta de lembrar, brasileiro não gosta de esporte: brasileiro gosta é de torcer. Então todo mundo tem que escolher time enquanto o torcedor de longa data mete o pau em quem está chegando agora babando - com razão - em cima do LeBron James.

Nos Estados Unidos, o pessoal não tem tanto acesso a partidas da NBA quanto a gente pensa. São poucas transmissões em canais abertos, mas cada região passa todos os jogos de seu time. Então um morador de San Antonio pode ver todos os jogos do Spurs e aos poucos começa a querer se enforcar de tédio, mas não verá quase nunca o Cavs jogar. Pior: times que não recebem cobertura nacional dos grandes canais acabam desaparecendo dos olhos do público, e um torcedor de San Antonio só vê equipes como Kings e Nets quando esses times enfrentam o Spurs. Então, lá na gringolândia, o torcedor não tem muita escolha a não ser seguir seu time.

Aqui não. Sem ter um canal local passando os jogos do nosso time, nosso acesso aos jogos é através da TV paga, que em geral mostra sempre as mesmas equipes (é questão de público e dinheiro), mas nossa alternativa é acompanhar pela internet, em que podemos assistir qualquer jogo de qualquer equipe. Qualquer um. Frente a essas circunstâncias, esse lance de acompanhar apenas um time, ou então de ser contra as modinhas, parece uma estupidez tremenda, um comportamento que errou de cultura e de país. Ao invés de criticar os torcedores modinha do Bucks, todo mundo que acompanha NBA no Brasil deveria correr e acompanhar um par de partidas dos veadinhos para ver do que se trata, como jogam, como é sua defesa, o porquê de estarem ganhando jogos. Ao invés de odiar o LeBron por ser modinha ou o Kobe por ser fominha, todo mundo deveria correr para acompanhar suas maiores atuações. Quando o Kings e o Tyreke Evans explodiram no começo da temporada, o Denis e eu não parávamos de ver jogos da equipe. Quando o Kevin Durant começou a pontuar como um maluco, lá estou eu para tentar entender o que raios faz esse Thunder ser tão bom.

Nessa temporada, assisti quase todas as partidas do Houston. Mas, confesso, foi apenas porque o time era divertido demais de se ver. Abandonei vários jogos da equipe, quando as coisas estavam capengando, para ir acompanhar o Kings em alta - e até para acompanhar, como fiz tanto, o Nets em baixa. O Nets virou para mim uma espécie de modinha do Mundo Bizarro, eu queria acompanhar pra entender o porquê de feder tanto se os jogadores eram tão legais. O resultado foi que o Nets tem o quíntuplo de posts no Bola Presa nessa temporada do que tem o Spurs, porque eu sou um modinha. E vou dizer uma coisa, é uma delícia seguir a moda e ir espiando o que de melhor - e de pior! - está acontecendo ao redor da NBA.

Alguns torcedores do Jazz tão agradáveis quanto a Vanuza cantando o Hino Nacional me tiraram um bocado de apreço pela equipe. Mas minha falta de interesse no Jazz, mesmo enquanto o time chocava a NBA e nos fazia morder a língua, tem mais relação com o interesse crescente por outros times. Amor e obediência incondicionais são um absurdo: tudo é histórico. Se você ama e obedece incondicionalmente ao seu país, deveria perceber que esse amor é tão arbitrário e aleatório quanto torcer para o Palmeiras ou para o Fluminense, e eventualmente teu país pode estar fritando judeus por aí e você vai estar batendo palmas, nesse lance de incondicional. Tudo depende do momento, das circunstâncias. Eu torço pro Houston até que isso seja divertido, no momento em que eles contratarem o Bruce Bowen eu deixo para lá. Esse lance de "eu torço para tal time e não importa o que ele faça, o que interessa é vencer" é coisa de quem não gosta de esporte ou basquete, gosta é de vitória. Mas aí dá pra deixar a NBA de lado e ir disputar par-ou-ímpar. Vitória é o caralho, estamos aqui porque é divertido, porque nos faz bem, porque nos permite uma janela para o mundo, porque nos dá orgulho da humanidade, porque nos dá nojo da humanidade. Se é só vencer, pega teu irmãozinho e vai jogar Street Fighter com o Sagat.

Sendo assim, interesses, amores e paixões pelos times da NBA vem e vão o tempo inteiro. Sorte de quem torce menos e aproveita mais, sorte de quem sabe porque e para quê está gastando horas e horas diárias da sua vida num esporte que consiste de acertar uma esfera laranja numa circunferência exageradamente alta lá nos Estados Unidos, e a gente assiste de longe, batendo palminha atrás do teclado. Então eu vejo menos Jazz e mais Thunder. Acompanho o meu Houston trocando de canal quando começa o Grizzlies. Deixo o Michael Jordan pra lá porque seu tempo já terminou e tem um caralhada de jogadores maravilhosos que apareceram na NBA desde então. Acompanho Kobe, LeBron, Wade e Durant, tudo ao mesmo tempo, sem ter birra por nenhum deles apenas porque estão ficando famosos ou porque um é melhor que o outro. É por isso que a política do Bola Presa é não fazer lista com os quatrocentos melhores alas de todos os tempos, não ficar vivendo no passado e nem criar qualquer inimizade que não seja bem-humorada. Senão o Chris Paul é chamado de estrume só porque um carinha prefere o Deron Williams. Torcer acaba atrapalhando a fruição de um esporte que tem trocentos times, trocentas estrelas, trocentos jogadores incríveis que são completamente nada-a-ver e você só conhecerá vendo os 5 minutos finais de uma partida perdida pelo Pacers.

Eu querer que o Thunder ganhasse não estragou nem um pouco a partida maravilhosa do Jazz ou a marca histórica do meu queridinho Deron Williams, apenas tornou mais indignante a falta não marcada em cima do Kevin Durant no seu arremesso de três pontos que poderia ter vencido o jogo (vale conferir, junto com os melhores momentos, no vídeo abaixo).


Se o arremesso iria entrar ou não, nem importa, ele sofreu uma falta e teria direito aos lances livres que poderiam empatar ou vencer o jogo. Os juízes não deram, o Durant ficou na quadra reclamando, foi arrancado de lá pela comissão técnica, e eu fiquei um pouco emburrado. Acontece. Acompanhei uma das melhores partidas da temporada, com um final eletrizante e até roubado, simplesmente porque resolvi embarcar na modinha do Kevin Durant. Já tem gente odiando o garoto e nem é porque ele tem a metade da nossa idade e já chuta traseiros um absurdo, é só porque ficam babando ovo nele. Porque, afinal de contas, legal mesmo é babar ovo no Eddy Curry.

Confesso que fico até um pouco aliviado de não ter o meu Houston Rockets para acompanhar nos playoffs. Além de não entupir o Bola Presa com posts do tipo "diabos, o meu time não tem chances mas eu amo o Kevin Martin", poderei assistir trocentas outras equipes em duelos incríveis sem ficar torcendo muito, posso ficar vibrando com os jogos e esperando alguns confrontos específicos. Torço moderadamente até a favor do Spurs, que agora é um time moderadamente divertido e imprevisível, mas peço desculpas aos moradores do Rio pela minha torcida pelo San Antonio estar causando alguns fenômenos pluviais.

Não deixe ninguém tirar a tua diversão em acompanhar algum jogador queridinho do grande público, ou de torcer por um time que está nas manchetes, ou que acabou de ganhar um título. Mas também não se prenda a esse jogador ou a esse time que, como você sabe, foi escolhido meio ao acaso. Permita-se degustar toda a NBA sem que seu fanatismo te torne completamente cego para as outras coisas que cercam o universo do basquete. E, acima de tudo, se você não tem senso de humor, vá torcer para o Jazz para que fiquem todos concentrados em um só lugar e as outras maçãs não se estraguem. A NBA pode ser muito legal, apesar de muita gente - fanática por ela - tentar provar o contrário.

43 comentários:

Lucas disse...

Acho q uma coisa é vc escolher um time para torcer... outra coisa é vc admirar jogadores de outras equipes... acho possível dividir isso sem problema algum... eu, por exemplo, sou torcedor (SOFREDOR!) do Hornets desde 1995 (Larry Johnson, amigo!) e me tornei torcedor pq ganhei um boné do time e achei aquela abelhinha super simpática... passei a acompanhar e a gostar do time mesmo... mas nunca deixei de admirar e elogiar Michael Jordan, Karl Malone, Shaq O'Neal, etc... não vejo problema algum nisso... e hj eu admiro o Wade, LeBron, Durant, Kobe, Evans, etc... tbm sem problema algum... e hj acho o Deron o melhor armador em atividade na NBA e vejo o Jazz jogar só por causa dele (e olha q eu sou torcedor do Hornets, e o Chris Paul é genial... mas reconheço q o Deron hj é melhor)... então, sabendo separar as coisas, dá pra torcer e acompanhar a NBA de forma saudável... não é pq o Hornets não está nos playoffs q eu vou deixar de acompanhar os jogaços decisivos q devem acontecer... muito pelo contrário... ver esses craques jogarem é sempre um prazer... independente do time q a gente torça... pelo menos é a minha opinião... abços

Anônimo disse...

Concordo com o Lucas, é possível torcer pelo seu time e apreciar os outros times que jogam bonito da NBA. Sou torcedor do Knicks desde a época do Ewing em 1992 e escolhi o Knicks pq era a zebra contra os Bulls nos playoffs hehehe e torço até hoje por eles mas não deixo de acompanhar outros belos jogos que acontecem.

Dudson disse...

Eu como torcedor (não fanático, e sim, uma viúva do MJ) dos Bulls consegui passar da 3º linha do post e achei fantastico. Acho um absurdo esses torcedores recalcados.
Gostei do puxão de orelha... hehehe
Abrs Denis e Danilo

JAZZ FEDE !!!!

Guilherme disse...

Concordo com o que foi dito acima, mas entendo o lado do Bola Presa ao criticar o fanatismo quase religioso que alguns tem pelo Jazz - quer dizer pelo seu time...
...eu sou torcedor do Spurs e realmente sou capaz de largar um Cavs x Lakers pra ver um Spurs x Nets se forem jogos simultâneos, mas não pq é o meu time... mas sim pq eu adoro ver a "cara de nada" do Timmy q irrita tanta gente, adoro ver o Manu malabarista e o Parker infiltrando nas defesas por aí que nem água em parede mal feita...
...mas daí a ficar putinho pq os caras zoam o meu time só pq ele ganha horrores (ainda que nem tanto mais) ou pq o Tim Duncan não foi ensinado a sorrir é uma outra coisa completamente diferente...

...eu até prefiro mais quando zoam o Spurs do que quando elogiam...

hehee

e, por fim, mais um post genial!!!

abraços e lembrem-se:

NÃO SUBESTIMEM O SPURS!!!

Rogerio Matos disse...

Super legal esse artigo! Nao acompanho o blog de voces a muito tempo, mas desde que li a primeira vez, virei leitor diario! Acho super legal esse humor inteligente que fazem com os jogadores e a NBA. Parabens.
Em relacao ao artigo, gostei muito e sou esse tipo de torcedor modinha tambem! Assisto para me divertir, para me emocionar e se realmente tivesse parado e declarado amor a um time so, renegando o valor dos outros nao daria em nada. Mas tambem concordo com o Leo acima, em relacao a torcer para um equipe e admirar os jogadores das outras. O problema é justamente falar mal so porque o seu ''armadozinho'' da equipe X é melhor....Outra coisa engracada é o que voce falou sobre os jogos nos EUA. Moro em Montreal e so passa jogos do Toronto! O time até que jogou bem algumas partidas, mas é chato ver o joguinho deles. Nao tem o basquetebol arte do cleveland ou ate mesmo utah! O unico que se destaca e bem é o Bosh, e mesmo assim aos trancos e barrancos! De resto, da pena ver o time jogando contra o cleveland, como foi ontem!
Forte abraço

Pedro Arcanjelo disse...

Muito bom o artigo, realmente ninguém deveria deixar de apreciar outros jogadores ou times porque torce pra um específico.

Quer torcer? Torça com toda sua força, mas não deixe de curtir tudo que a NBA nos mostra, afinal, todos aqui tem um gosto em comum, o basquete, e o da NBA é o melhor.

Anônimo disse...

Olha só nenhum comentário depreciativo, técnica anti-malas funcionando realmente.

Felipe disse...

Para os baba ovo de plantão aih de cima so um torcedor do Jazz e sempre leio o Bola Presa.Mais gostei da parte do fanatismo, bem legal. Hahaha

Pode falar a vontade do Jazz afinal é um time tão esquecido tão pequeno que me agrada ler algumas poucas frases sobre ele e algumas asneiras tbm.

E digo denovo, torcedor do JAZZ é fanatico sim, se o time fede pouco importa se ganha que legal se perde agente fica muito puto da cara(o que acontece sempre)mais enfim, deixa os torcedores do JAZZ em paz, quem começou foram vcs com um post sobre a filha do fisher, mais nem vem ao caso. Importa é que agente ganhou ontem e eu to feliz pra caramba por hoje e não será vcs fraldinhas da NBA que vão tirar minha alegria, se ela vai durar até o jogo com as fogueiteiras eu não sei.

FUCK OFF EVERYBODY!!!

Lucas disse...

Felipe, acho q um pouco de humildade não faria mal, cara...chamar a galera de fraldinhas da NBA? Terminar seu post com xingamento? Não vejo o propósito disso... o Deron é foda? É... o Utah vem mandando bem? Sim... mas um pouco de humildade não faz mal... não se esqueça de q o seu time tbm tem pontos fracos e pode cair nos playoffs... me lembro de um jogo nessa temporada q vcs perderam em casa pro meu Hornets, tomando 30 pontos do Devin Brown... rsrsrsrsrs... racho de rir só de lembrar... então, humildade não faz mal a ninguém... os torcedores do Jazz tem esse complexo de perseguição? talvez, mas vcs podem inverter esse quadro... só depende de vcs... eu assisto a jogos do Jazz, pq o time manda bem e o Deron é o melhor PG da NBA na atualidade (e olha q eu torço pro Hornets do CP3, hein... rsrs)... mas basquete pra mim não é vida ou morte, não... é diversão... e em vez de discutir, devemos curtir o q esses craques fazem em quadra, independente de suas camisetas... relaxa, cara... abço

Anônimo disse...

Os torcedores brasileiros do Jazz tem um cérebro de ervilha.
E tem mesmo que falar até esse bando de criança que acha que entende algo de NBA aprendam.

Vinícius Oliveira disse...

ótimo post, como sempre
tenho 19 anos, e comecei a torcer pelo Spurs, desde os meus tempos de NBA jam no mega drive usahuhasuhsa, Com Robinson e Rodman
Ontem ao invés de assistir Jazz e Thunder, tava vendo Spurs x Kings saokpaskpo


E ver o Spurs é muito legal.osapokaspoaspok

Felipe Jr. disse...

Excelente post !

Repetindo: Eu não sei daonde sai tanto torcedor revoltado do Jazz aqui no Brasil !

ahueahuehauehauehuaehuaehuae

abrass

Go Jazz

Fabrício disse...

Eu sou torcedor do jazz, foda que tem uns caras que levam os posts a serio, pô Felipe tenha respeito =D, por caras como vc que vira toda essa zona ai ^^, mas enfim ótimo post.. eu assisti o jogo ontem foi muito bom mesmo.. esses jogos do oeste vão ser muuuuuito equilibrados do segundo ao sétimo colocado, hduehude e parem de odiar nosso time só porque tem uns babacas ai que falam asneiras XD não respondemos por eles uehdeuhude, a e sim...


aaaaa.. Denis, Danilo... se lembra que no começo do ano sobre o review do oeste eu falei que o blazers não ia virar euhdeuhdue.

Bowen fede!

Cambada do spurs.. 4 a 0 em vcs em.. e olha que vai ter playoffs jaja..

Will Knicks disse...

Denis e Danilo vai ter um bolao dos resultados dos playoffs e o campeão? Ia ser legal!! Abraços !!

Arthur disse...

Começei a acompanhar a NBA nos playoffs da temporada passada, torcia pro Magic, mas peguei gosto pelo Thunder desde o começo da temporada, e acompanhei o jogo ontem, fiquei indignado com a falta nao marcada no Durant, e agora peguei raiva do Jazz e torço para que de Thunder e Jazz pro Durant e cia. humilhar o Jazz, mas aquele Deron Wlllians é muito bom tambem fala sério!

Rodrigo Ribeiro disse...

"só seria mais perfeito (para o Jazz) se tivesse nascido mórmon e achasse que os negros tem essa cor porque não aceitaram Jesus"

Danilo, SENSACIONAL!!!!

Reinilson disse...

Eu sou fanático pelo Spurs adoro ve Timmy jogando pricipalmente pela sua friesa Go Spurs!!!!!!!!

Anônimo disse...

Caralho, texto fantástico Danilo.

Parabéns!

RR

White_Crow disse...

Po.... alem de site modinha, agora é emo tb! Reclama em todo paragrafo! hahahahaha

Anônimo disse...

emo e modinha

raul disse...

AI PESSOAL LEGAL O POST EU ACOMPANHO O BOLA PRESA JUNTAMENTE COM O REBOTE,SÃO ESPAÇOS LEGAIS PRA SE FALAR DE "BASQUETE OU BASKETBALL" COMO SE ACHE MELHOR.
SOU TORCEDOR DO JAZZ DESDE 1996 E TAMBÉM SOU MORMÓN APESAR DE ACHAR O BOLA PRESA MUITO BACANA E ATÉ PODE SER QUE OS TORCEDORES DO JAZZ SEJAM CHATOS, AFINAL QUEM GOSTA MUITO DE UM TIME TERMINA SE TORNANDO MEIO CHATO.
SÓ NÃO PODERIA DE ESCCLARECER O COMENTÁRIO QUE SEGUE:
"só seria mais perfeito (para o Jazz) se tivesse nascido mórmon e achasse que os negros tem essa cor porque não aceitaram Jesus"
DEIXANDO BEM CLARO QUE ESSE COMENTÁRIO NÃO TEM NENHUM FUNDAMENTO TEOLÓGICO NO QUE SE RELACIONA AO MORMONISMO.DIFERENTE DO QUE FOI PASSADO E DO QUE MUITA GENTE ESPECULA MORMÓNS NÃO SÃO RACISTAS. SÓ PRA CITAR QUE O BRASIL É O SEGUNDO PAÍS COM MAIOR NÚMERO DE MORMÓNS, ATRÁS APENAS DOS ESTADOS UNIDOS.
ENTÃO GALERA DO BOLA PRESA ACREDITO QUE VOCÊS DEVERIAM TER MAIS CUIDADO AO POSTAR COMENTÁRIOS DE CUNHO RELIGIOSO,ÉTNICO ETC..
GRANDE ABRAÇO

Danilo disse...

Raul, foi apenas uma generalização barata - assim como dizer que os cristãos acreditam num zumbi, ou que os budistas tentam deixar de existir. Tinha cunho apenas humorístico. O comentário em si veio de um desenho animado mórmon disponível no YouTube que tinha como intenção explicar para as crianças a religião - e acaba explicando a pele escura dos negros de um jeito bizarro e muito engraçado. Mas sinta-se livre para até explicar pra gente as crenças a respeito desse ponto, pode usar esse espaço para explicar qualquer mal entendido e não levar a gente muito a sério. Abraços!

dglhp disse...

E q Deus perdoe a alma dos torcedores do Lakers q perderam a série entre Celt's x Bulls dos PO's da ultima season.(Galerinha do Lakers Brasil estou olhando pra vcs)

João Inácio disse...

uahsushauhasu lah os caras estao explodindo!!!dglhp eu comento lah pq sou lakers fanatico mas eu gosto de ver o lebron(nunca falei mal dele) e de todos da nba(menos o bowen matador de criancinhas)

João Inácio disse...

sempre gostei do durant tbm...(eu vi mtos jogos do okc esse ano)

raul disse...

Danilo tranquilo cara, gosto muito do espaço de vocês assim como do Rebote.
Grande abraço e let´s gooooooooooooooooooooooooooooooo Jazzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Fabantas disse...

Muito bom o post concordo plenamente com você Danilo.

Torço/Sofro pelo Sacramento pois qdo comecei a acompanhar a NBA em 2002, nós tinhamos um time muito bom era divertido assistir, podiamos ser campeoes se não tivessem nos roubado naquela melhor de 7 né Lakers...hehe

Mas independente do Kings, eu assisto os outros times jogar por vários motivos, exemplos:

O Grizzlies - pelo Z-Bo e sua historia de superação...hehe

O Warriors - qdo eu quero ver cestas, sem nenhuma defesa, só diversão e revigorante, não importa se são 05 caras da D-League jogando, todos jogando 48 minutos pois o banco tá todo fudido, jogador com 06 faltas jogando, e um verdadeiro Psycho Circus....rsrsrs

O Spurs - pelo neo-fantastico Ginobili buscando um contrato novo...hehe

e assim vai, a maioria dos times tem um jogador, algo ou uma situação, um momento legal pra ver... agora um eu nao tenho saco nessa temporada:

Detroit - Joe Dumars jogou merda no ventilador, é um time todo desfigurado sem identidade, é uma porcaria não dá pra assistir, torço pra que eles melhorem na prox. season.

Anônimo disse...

Texto bakana mesmo. Mais um Made in Bola Presa. Agora, sobre esse lance de que torcedor do Lakers torcer para os amarelinhos só porque fomos a última grande dinastia da NBA, é intriga de torcedor do Houston Rockets mesmo ou de torcedor do Jazz que nunca ganha nada huhauahuaa. Pode até zuar com isso aí, só não vem Gritar "Beat L.A." no meu ouvido que aí o caldo entorna.

Heverton Elias

Rafael Gomes Martins disse...

Poxa, não sou torcedor do Jazz e também me irrito com qualquer fanatismo exagerado, e acho muito legal discutir isso.
Mas poxa, Danilo, totalmente desnecessário e desrespeitoso o comentário sobre mórmons. Não tem nada a ver com a discussão, é preconceituoso e ignorante.
Não vou repetir o que o Raul falou, mas não precisava.
Não acho que isso é levar vocês muito a sério, e não acho que sou chato ao falar isso. Vocês tem muito leitores e não deveriam espalhar absurdos sobre um tema delicado, uma religião que poucos conhecem e que há muita informação falsa.
Sugiro, um comentário após o post, pedindo desculpas pelo preconceito religioso. Aqui, como você sugeriu, não é o local adequado. Teria que ser no post.
Não quero perder a admiração que tenho pelo Bola Presa.
Abraços,

Thiago Escobar disse...

Sou Lakers FANÁTICO, e não escolhi aleatoriamente não, torço porque meu pai acompanhava o Showtime e me ensinou a torcer pro Lakers...mas nem por isso eu deixo de acompanhar outros jogos, muito pelo contrário, sou MUITO fã da NBA!! e agradeço a Deus por ter escolhido assistir a série entre Bulls e Celtics ano passado, algo que vou lembrar e contar pros meus filhos...sem falar que assisti vários jogos dos Kings por causa do Evans e assisti meio que na sorte ao jogo de 55pts do Jennings...acho o Lebron um monstro apesar de achar ele muito arrogante e odiar o fato dele ficar cantando durante os jogos(só quando tá ganhando)...enfim o que quero dizer é que dá pra torcer MUITO por um time mas saber apreciar outros sem problema nenhum!!...sou palmeirense mas gosto de assistir os jogos do Cruzeiro e dos Santos que estão jogando muito bem, assim como assisto a Champions League e agradeço a Deus por ter o privilégio de assistir o Messi jogar, apesar dele ser argentino!!

Rodrigo Ribeiro disse...

"Sugiro, um comentário após o post, pedindo desculpas pelo preconceito religioso."

Ah, Rafael Gomes Martins, vai cagar!

Danilo disse...

Rafael, foi apenas uma piada baseada nesse desenho aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=1Jf1Bv4w0P4

Juro que já fiz piadas com cristãos, evangélicos e muçulmanos nos posts do Bola Presa, ninguém reclamou. Já falamos no "Both Teams Played Hard" sobre ateísmo, agnosticismo, mitologia, tiramos sarro de acreditar em deus e em duendes. Não queria ofender, mas também não queria perder a piada em todas essas vezes.

Sinta-se livre para esclarecer aqui as crenças mórmons, eu coloco um adendo no post. Se souber de um bom site explicando bem a religião, eu coloco o link no texto também. Mas crenças religiosas não são diferentes de time favorito, opinião sobre o homem ter ou não pisado na Lua ou usar ou não bigode. Ninguém aqui vai desrespeitar mórmons por essa piada assim como ninguém desrespeita cristão quando insisto que eles acreditam num zumbi. O humor, pelo contrário, é um modo de todos rirem juntos - inclusive, e principalmente, de si mesmos. Quando disseram no "Both Teams Played Hard" que nossa postura agnóstica equivale a um ateu preguiçoso, eu apenas ri e fui tomar um chá. Estava gostoso.

Abraços!

thiago disse...

eu sei q vcs vao fica puto deu fala isso, mas eu vou fala: se fosse o lebron tinham marcado falta

Fernando Araujo disse...

1. Conheci o lakers nas finais contra o pacers. tava passando de canal quando vi um negao de amarelo acabando com todo mundo(shaq), vi toda serie e to nessa ate hj.

2. Bom, primeiro de tudo vejo muitos jogos dos lagos, mas quero ver estrelas, nem q seja pra torcer contra apreciando(duncan 3 hosras da manha era brabo de aguentar, mas eu xingava e conseguia ficar sem dormir e ainda via ele jogar)

3.Os torcedores do Jazz sao exagerados em qualquer lugar(só perdem pro pessoal do lakers brasil).

4.O post sobre a filha do fisher foi impecável, mesmo que voces não gostem. Por acaso voces nao viram o que a torcida de voces gritava???(cancer, cancer...).

5. Se fosse no lebron, no wade, no kobe, no carmelo... mais alguns anos de nba e é falta no durat tb.

6. belo post, impecavel, mas na duvida mereceria uma nota apenas pra fechar o assunto.

7.O ginobilli vai arrumar um contrato gordo mesmo com a idade dele??? essa eu vou mandar pro formspring.

Fernando Araujo disse...

1. Conheci o lakers nas finais contra o pacers. tava passando de canal quando vi um negao de amarelo acabando com todo mundo(shaq), vi toda serie e to nessa ate hj.

2. Bom, primeiro de tudo vejo muitos jogos dos lagos, mas quero ver estrelas, nem q seja pra torcer contra apreciando(duncan 3 hosras da manha era brabo de aguentar, mas eu xingava e conseguia ficar sem dormir e ainda via ele jogar)

3.Os torcedores do Jazz sao exagerados em qualquer lugar(só perdem pro pessoal do lakers brasil).

4.O post sobre a filha do fisher foi impecável, mesmo que voces não gostem. Por acaso voces nao viram o que a torcida de voces gritava???(cancer, cancer...).

5. Se fosse no lebron, no wade, no kobe, no carmelo... mais alguns anos de nba e é falta no durat tb.

6. belo post, impecavel, mas na duvida mereceria uma nota apenas pra fechar o assunto.

7.O ginobilli vai arrumar um contrato gordo mesmo com a idade dele??? essa eu vou mandar pro formspring.

Fernando Araujo disse...

foi bom o ielo ter vindo pra flamengo neh. tah com muitas areas de treino essa semana. vlw pelas piadas. falem mais ainda da gente, precisamos de gente pra falar. já aconteceu no rj, sp, no sul, aonde vao parar essas enchentes
?????

Rafael Gomes Martins disse...

Danilo, acho que não quero alongar a discussão.
Só achei importante falar.
Hoje, pensando bem, acho que peguei pesado com você e não vejo porque se retratar no post.
Apenas algo pra se pensar...
Vamos falar de basquete?
Um abraço

Rafael Gomes Martins disse...

Afinal, hoje tem Lakers @ Denver as 23:30!!!

Oliveira disse...

Morte aos Mórmons.

Rodrigo Lakers disse...

Vou ignorar os comentarios religiosos acima! hahahaha
Comecei a torcer em 95 pq ganhei um boné do Lakers do meu tio que foi a Los Angeles e torce pro Lakão até hoje! Naquela época Kobe ainda usava fraldas e nem sonhava em ser jogador da NBA. E o Lakers vivia um de seus piores momentos de vacas magras, apesar de ter um time razoavel com Nick The Quick Van Exel, Divac, Eddie Jones... Mas nunca foi páreo pro Jazz, rockets, sonics, suns.. Aí teve o grande momento do tri-campeonato, minhas melhores lembranças de quando eu acompanhei NBA. Em seguida veio o desmanche e o time mais horroroso que eu ja vi do Lakers com Kwame Brown e Brian Cook!! E finalmente depois desses anos de castigo a redenção de Kobe e cia! E a história continua nos próximos capitulos... Acho que pra começar a torcer pra um time depende de varias situações, mas cada uma é valida, o que importa é curtir o espetáculo.

Farid Tranjan disse...

Bola.

Anônimo disse...

Pois é, a falha é subestimar a força da torcida do Jazz no Brasil e achar que pode ficar flaando mal do time e da torcida do Jazz à toa. A recompensa, ou castigo vem de roldão...Não gostei do texto sobre o time ir mal no começo da temporada, totalmente oportunista. Sim, eu gosto muito do Jazz, mesmo antes das finais de 98/99 e das semis de 97 contra o sonics(r.i.p.). Agora é lamentar, todo post negativo do Jazz é pau na cabeça na certa.

Danilo disse...

Oportunista seria assumir que o Bola Presa fica esperando a primeira oportunidade que tem para poder fazer um post falando mal do Jazz. A gente falou o que estava acontecendo na época, como um blog que tenta falar sobre NBA em geral escolhemos aquilo que achamos mais importante ou divertido em cada momento. Responder posts negativos com pau na cabeça é muito engraçado, as outras torcidas acham ridículo e divertido, os torcedores inteligentes do Jazz morrem de vergonha dessa torcida fanática, e será que você entendeu alguma coisa do que eu escrevi no post?!